Minha História no Alfa

Escrever minha História

19/01/2016 - Júlia Bedôr Jardim Bastos de Paula Cavalcante

Medicina - UFMT

Júlia Bedôr Jardim Bastos de Paula Cavalcante

Sair de Colorado do Oeste (RO) para fazer cursinho no Alfa foi uma grande aventura e um grande desafio para mim e conquistar o primeiro lugar na minha de cota em uma Universidade Federal, foi extasiante. Longe da família e dos amigos, fui em busca de um futuro melhor com o auxílio do Alfa Cascavel, cursinho que conheci por indicações de amigos e me apaixonei por tantas aprovações, senti que queria fazer parte disso e fui atrás. Minha família sempre deu o maior apoio, minha mãe principalmente. Quando cheguei a Cascavel, encontrei outro mundo. Professores excelentes e dedicados, carinhosos. Tio João, tia Rosecler, tia Noilma, tio Luiz... Agora são todos parte da minha família do coração. Foram meses de muito estudo e muito esforço, sempre com o maior apoio da equipe Alfa Cascavel. Acreditei sempre no que me indicaram e hoje sei que foi o melhor para mim. Valeu muito a pena! Planos de estudo seguidos diariamente, exercícios, macetes... Não teria conseguido sem vocês! Obrigada a toda equipe Alfa Cascavel! E um agradecimento especial a equipe de limpeza, que também me ajudaram e me aconselharam nos piores momentos.

14/01/2016 - ISABELA ESTEFANI BAGGIO

MEDICINA FAMA

ISABELA ESTEFANI BAGGIO

Sempre me perguntaram o porque de ir 1100 km(Rondonópolis MT) longe da família para fazer cursinho em Cascavel. A resposta é simples: foi no Alfa que aprendi a ser competitiva e organizar meus estudos para conseguir ser aprovada. Além disso, acreditei nas estatísticas do professor João, nos conselhos do Tio Luiz e seguia com disciplina os planos de estudo que a Rosecler, minha segunda mãe em Cascavel, me ajudava fazer. E também contava com a excepcional equipe de professores do Alfa de manha e à tarde no Integral sempre repassando seus conhecimentos aconselhando sobre as principais pegadinhas do vestibular para que não caíssemos em nenhuma.Assistia a todas as revisões e outras aulas extras, assim fui aprovada em 1 ano e 5 meses de cursinho na FAMA-GO. Para os que estão tentando passar no vestibular de medicina ou outros cursos o meu conselho é nunca desistir diante do primeiro não. "Tudo vale a pena quando a fé não é pequena" Um grande abraço para toda equipe/família ALFA CASCAVEL.

19/12/2015 - Daiani Biazolo

Medicina

Daiani Biazolo

Para quem morava em uma cidade pequena, que não teve uma base sólida, ir estudar no Alfa era a saída para alcançar um grande objetivo, passar em Medicina. Primeiramente, sair da minha cidade não foi uma tarefa fácil, minha mãe teve que abrir mão de bens pessoais para poder me bancar no cursinho e ao mesmo tempo manter as despesas minhas e de minha filha. Certamente, quando chequei ao alfa a realidade de estudo era outra, os alunos estudavam muito, então, percebi que seria mais difícil do que eu pensava, mas não impossível. Assim, depois de dois anos parada sem estudar tive que, além de voltar a estudar, aprender o processo correto para chegar a aprovação. Dessa forma, os primeiros anos não foram fáceis, perdi importantes momentos do crescimento de minha filha com 2 anos de idade, sua aprendizagem, sua educação e seus cuidados a maioria das vezes era dada a minha mãe, pois eu passava o dia inteiro no Alfa. Sendo assim, o Alfa passou a ser a minha nova casa, no início eu tinha muitas dificuldades, por isso decidi fazer o integral que, acredito, ter sido fundamental para a minha aprovação, tive que encarar os meus erros não ter vergonha de tirar as dúvidas mais simples que pudessem ser. Os professores são excelentes sempre buscando se atualizar e repassar as maiores informações possíveis para os alunos. A metodologia que o colégio emprega também é importante, por isso eu sempre fazia todos os simulados, assistia todas as aulas e as revisões de final de semana, mesmo com anos de cursinho, já que procurava me ater aos detalhes de cada aula. Foram seis anos de cursinho, e a cada ano que passava eu precisava renovar minhas forças que encontrava no apoio de minha mãe, no rostinho de minha filha e no incentivo do Alfa. Pensei muitas vezes em desistir, a insegurança vem as incertezas e o cansaço, porém era jogar fora anos de conhecimento, sofrimento e expectativas que não eram só minhas, mas lá no fundo eu percebia que estava cada vez mais perto de desfrutar da incrível sensação de ver seu nome na lista. Enfim, tudo valeu a pena e eu só tenho a agradecer ao amparo que toda a equipe administrativa e pedagógica me proporcionou, as palavras do Luiz, do João e da Noilma, e por além de tudo, acreditarem em mim.

10/10/2015 - Gustavo Henrique Auler

Medicina- UEPG e UNESC

Gustavo Henrique Auler

A medicina é um sonho de muitos, porém poucos conseguem passar. De fato, é uma tarefa difícil e para almejá-la deve se saber disso primeiramente. Fiz três anos de cursinho contando o terceirão. Comecei estudar de fato no terceiro ano em torno de 10 a 13 horas por dia, contando as horas-aula. Você olha a lista do resultado de inúmeros vestibulares e seu nome não está lá. Cada fracasso é sim difícil de suportar. O auge negativo foi quando não passei na UNIOESTE acertando mais de 64 questões. Pensei em desistir. Cursinho mais um ano seria difícil, engenharia parecia atraente nessa hora. O curso seria caro e complicado para meus pais pagarem. Decidi continuar e pagar o cursinho com a poupança que era para eu comprar um carro no futuro preferi investir esse dinheiro em mim mesmo. Deu certo, pagaria tudo em dobro e viveria tudo novamente para sentir novamente passar na universidade a qual sempre sonhei. Olhar meu nome na lista foi inexplicável, só consegui gritar naquele integral. Por semanas nem acreditava que eu era o terceiro lugar da UEPG. A batalha é longa. Os fracos ficam pelo caminho. Mas tudo tem seu tempo e a medicina é para aqueles que agüentam as derrotas e se tornam cada vez mais fortes!

07/10/2015 - RUY FORTUNATO BARBOSA ZANDONADI

medicina Univag / medicina FAMA

RUY FORTUNATO BARBOSA ZANDONADI

Minha historia no alfa começou a três anos atrás, desde la foram muitas noites de estudo, distancia de 1100km de casa, família e namorada. Contudo, esse foi o caminho que eu escolhi para a vida. E com a certeza do que eu queria passei três anos e meio no alfa até ser aprovado primeiro na UNIVAG-cuiaba e depois em Mineiros-GO na FAMA, onde me encontro atualmente cursando medicina. Quero agradecer a toda equipe do alfa, principalmente o TIO LUIZ, que tirava das minhas costas um peso que as vezes eu queria carregar e nao havia necessidade. A equipe de professores do alfa sem dúvida são extremamente capacitados, competentes e compartilham junto de ti sua batalha nos dias de vestibular. Alem disso, gostaria de deixar um conselho a todos que estão iniciando nessa batalha, nao desistam nunca dos seus sonhos, e sei que vcs perderão o foco por algum motivo, principalmente um resultado ruim em algum vestibular, mas saibam que esse é o caminho certo, pois aprendemos em cima de nossos erros. Aproveite ao máximo a oportunidade de contar com essa equipe fantástica do alfa. Por fim, quero agradecer novamente a todos do alfa por me colocarem dentro do meu sonho que era cursar medicina, sem vocês meu caminho poderia ser bem mais longo. Obrigado a todos, equipe e professores. Um abraço de um futuro médico.

28/09/2015 - Renata Buzolin Hartmann

Renata Buzolin Hartmann

Muitos escolhem fazer medicina por visualizar nesse curso satisfação social e econômica , outros por acreditar que a mesma se encaixa nas suas aptidões. Certamente é uma profissão linda e digna de tamanha procura, no entanto, o que não contam é que por trás desse prestígio, estão horas e horas de estudo, a renúncia de baladas e a construção de uma rotina regrada. Eu sou muito grata por ter feito meus quatro anos de cursinho no Alfa, pois, esse colégio não só me deu conhecimentos científicos para alcançar meu prestígio, como me forneceu uma equipe incrível,desde o pedagógico à coordenação, que me auxiliou na construção da minha conduta enquanto estudante (ter foco para frequentar todas as aulas, ir ao integral nos sábados, estudar todas as tardes e noites, resolver os exercícios indicados, fazer os simulados -que são de extrema importância- e principalmente: não deixar de estudar), me deu apoio emocional nas horas em que acreditava não ser capaz de passar e, sobretudo, acolheram-me mostrando que eu não estava sozinha nessa etapa. Sou muito grata a oportunidade que o Joãozinho me deu quando precisei, certamente foi um estímulo para não desistir, e de todo o coração agradeço ao "tio" Luiz, pelos sábios conselhos, por levantar meu humor sem que para isso precisasse me iludir perante a realidade de um vestibular, palavras acolhedoras durante minhas frustrações, e por ter se tornado um "pilar de apoio" na minha trajetória para a aprovação. Finalizo assim, dizendo que mesmo quando você se sentir mal por ver nas redes sociais que todos são felizes e você precisa ir pro integral, tenha paciência, força, foco e fé para persistir, continue estudando e estudando, pois, só não passa quem sai da fila.

26/09/2015 - João Pedro Alberton Rambo

Medicina FAG

João Pedro Alberton Rambo

Cheguei no Alfa esse ano, sem nenhuma noção de como era a vida de um vestibulando de medicina, de quantas horas por dia passaria estudando. Sempre estudei em um mesmo colégio particular de Francisco Beltrão, um ótimo colégio por sinal, mas nunca tinha colocado na cabeça que a realidade era de que precisaria estudar para passar no vestibular, sempre pensei que o que todos falavam sobre estudar, seria apenas uma pressão para que eu não ficasse jogando o dia inteiro. No entanto, ao chegar no Alfa percebi que a conversa seria diferente, salas lotadas sem conversa alguma, e todos focados nas aulas, além da sala do integral (o diferencial da escola, o que mais me fez estudar) em que ao olhar para o lado, todos estavam atolados em suas bíblias, ou Alfa+ tanto faz. No inicio do ano estava com algumas dúvidas sobre cursar medicina ou não, mas coloquei na cabeça que iria estudar para passar no mais difícil, pois se em algum momento eu mudasse de ideia, as chances seriam grandes de obter um excelente resultado. Nas primeiras semanas, tudo foi difícil, principalmente a adaptação de entrar no colégio as 7 horas da manhã e sair as 8 horas da noite, estudando todo esse tempo, mas depois de algumas semanas entrei no ritmo que deveria, e com meio semestre de cursinho prestei o primeiro vestibular do ano, na FAG, fui bem, contudo a redação me afundou... estava na fila de espera, até que 1 mês depois das aulas começarem na faculdade, entra o "Tio Luiz" na sala do integral avisando que precisava falar comigo, saí da sala e então ele me perguntou " Já está sabendo ?" eu assustado perguntei " o que aconteceu ?" e então veio a melhor resposta que eu poderia ter recebido "Você foi chamado na FAG cara".. no momento não acreditei. Mas tenho muito a agradecer a toda a equipe Alfa, que me proporcionou um grande aprendizado, tanto escolar como também para a vida, e se você acha que não é capaz, continue tentando, logo você terá a chance de comemorar! Obrigado equipe Alfa.

24/09/2015 - Gabriela Cavalieri de Oliveira

Medicina Unioeste

Gabriela Cavalieri de Oliveira

Desde os meus 12 anos, eu sempre tive um sonho em minha vida, esse sonho era ser médica! E o Alfa teve um papel muito importante para que esse sonho fosse realizado. Foram 3 anos de cursinho, acordando cedo todos os dias e estudando até tarde para dar conta do conteúdo. Tive muitas dificuldades no início, era complicado manter o ritmo de estudo e eu tinha a impressão de que alcançar a tão almejada vaga na universidade, seria impossível. Entretanto, os professores, o Tio Luís e o Prof.João estavam sempre dispostos a nos apoiar e não nos deixar desistir. Se hoje eu posso dizer que sou caloura de MEDICINA na UNIOESTE é graças a perseverança, e ao foco nos estudos. Não foi fácil abdicar das atividades de lazer, de sair com os amigos, mas o tempo todo eu tive o apoio da coordenação do alfa, levantando o nosso ânimo e nos estimulando a estudar cada vez mais. Os professores do Alfa estão sempre dispostos a ajudar e tirar as dúvidas dos alunos e foram de extrema importância para me fazer crescer tanto como estudante, quanto como pessoa. E o aprendizado que eu tive durante esses três anos, foram essenciais para trazer disciplina e perseverança nos estudos, que me ajudam muito na faculdade. Passar em medicina não é fácil, exige sacrifícios, mas com a equipe do Alfa e com determinação, esse sonho deixará de ser apenas um sonho e se tornará realidade, assim como o meu se tornou!

11/09/2015 - Alice Ribeiro Comar

Medicina UNAERP.

Alice Ribeiro Comar

Minha história no Alfa teve início em 2014, depois de uma caminhada de alguns anos em outro cursinho. Cansada e já sem ânimo pra continuar apertando a "tecla da medicina" que parecia cada dia mais impossível, o Alfa me mostrou um novo jeito de estudar. A acolhida que eu tive foi ímpar! Os coordenadores, diretores, professores e toda a equipe sempre foram presentes, atenciosos, dedicados e preocupados com o nosso bem-estar. Os professores muito bem capacitados e qualificados, tanto em sala de aula como fora dela, sempre estiveram disponíveis e dispostos a sanar qualquer tipo de dúvida que viesse a surgir. Quando a tristeza e o desespero batiam, sempre encontrei um ombro amigo pra desabafar e me aconselhar com palavras de carinho. E diante das fortes emoções vividas dentro de cursinho, a equipe sempre esteve pronta pra secar as lágrimas quando a não aprovação insistia em nos desanimar; toda a equipe sempre teve as palavras certas a serem ditas e cada momento, fazendo com que minha esperança voltasse e eu continuasse na fila. E a cada simulado ou prova de vestibular, eu me sentia cada vez mais preparada, mais perto de ser a primeira da fila. Por algumas vezes, mesmo confiante, bati na trave e pensava em desistir. Mas o amparo que eu tinha de todos no cursinho me reerguia e eu continuei tentando. Esse apoio incondicional, as palavras de incentivo mesmo quando o cansaço me dominava, fez com que em junho de 2015 (1 ano e meio de Alfa)eu fosse a PRIMEIRA DA FILA e a tão sonhada APROVAÇÃO EM MEDICINA chegasse! Levo do Alfa grandes amizades, ensinamentos que vão além da sala de aula e gratidão por ter convivido em um ambiente que, por mais competitivo que possa parecer, me deu todo o amparo necessário para que eu conseguisse alcançar o meu objetivo. Deixo aqui o meu muito obrigada a todos que contribuíram para a minha aprovação; por terem me ensinado que tudo é uma questão de tempo e de ter paciência, dedicação e disciplina; por terem me ajudado a me reerguer todas as vezes que eu não via meu nome na lista; e sobretudo por nunca terem desistido de mim. Hoje posso me orgulhar e dizer que fiz parte do ALFA e que graças a preparação que tive, vou ser médica!

20/08/2015 - Mariana Sotana Rodrigues

Medicina FAG

Mariana Sotana Rodrigues

Sempre convivi com esse meio de vestibulares, aprovações e estudos. E, diferente do que muitos pensavam, santo de casa faz milagre sim, sou a prova viva hahaha. Decidi que queria medicina aos 16 anos, porém minha ficha só caiu no primeiro ano de cursinho, que foi quando comecei a estudar e a me dedicar realmente. Assistir a todas as aulas, ir a todas as revisões, resolver todos os exercícios e estudar nos finais de semana (inclusive nos domingos), foram essenciais para minha tão sonhada aprovação. Só quem passa por essa batalha sabe o quanto é dificil e sofrido. Para realizar um sonho é preciso abrir mão de muita coisa, e o mais difícil era não poder conviver com as pessoas que me faziam bem, pois passava o dia inteiro no integral durante a semana e nos sabados também. Mas ter feito cursinho me ajudou não só a ser aprovada, mas também a amadurecer e me tornar a pessoa que sou hoje. Passamos por muitas dificuldades e frustrações, e isso faz com que a gente cresça muito. E a sensação de ver seu nome na lista é única e indescritível, só assim voce vê como todo esforço valeu a pena. A equipe alfa é com certeza responsável por grande parte da minha conquista, excelentes educadores que além de fazerem de tudo para que os alunos aprendam e alcancem seus objetivos, estão sempre ali para os momentos difíceis, auxiliando e acalmando. Minha família também teve grande importância nessa caminhada, e só posso agradecer por toda compreensão com minha ausência, com as minhas crises de ansiedade, o estresse e outras coisas. E principalmente ao meu PAI (professor Joãozinho) que, por mais que eu tivesse que lidar com toda a pressão, era o primeiro a me consolar depois de provas, simulados e decepções. Hoje quem te agradece sou eu, obrigada por nunca ter desistido de mim quando eu ja havia desistido. Obrigada pelo apoio de todos, e hoje posso dizer que sim, eu vou ser médica!